Alguns bichos são mais iguais que os outros | Resenha de ‘A Revolução dos Bichos’

a-revolucao-dos-bichosA Revolução dos Bichos (Companhia das Letras; 152 páginas; 27 reais)

Animais de uma fazenda na Inglaterra, certo dia, convocam uma reunião no celeiro e chegam ao consenso de que estão sendo oprimidos pelos donos da granja. Eles então bolam um plano para expulsar seus opressores e aplicar um novo sistema que traga benefícios para a vida dos animais, onde todos serão menos explorados. O livro expõe as relações entre classe dominante e classe operária, no contexto do início do século XX, à medida que também alerta, de forma irônica, para os riscos de centralizar o poder nas mãos de poucos, em favor de um ideal.

George Orwell é o pseudônimo de Eric Arthur Blair. Ele nasceu em 1903, na Índia, onde seu pai trabalhava para o império britânico, porém cresceu na Inglaterra, onde estudou em colégios tradicionais. Durante sua vida foi jornalista, crítico e romancista, tornando-se um dos escritores mais influentes do século XX, sendo lembrado principalmente pela publicação de A Revolução dos Bichos e 1984, ambos na década de 40. Morreu de tuberculose em 1950, aos 47 anos.

Para aqueles que têm dificuldade em aprender história, o livro é um excelente pontapé para despertar o interesse pela Revolução Russa. É possível traçar paralelos entre alguns fatos e personalidades marcantes deste período. Uma leitura despretensiosa de A Revolução dos Bichos pode terminar com uma pesquisa online que vai deixar o leitor familiarizado como nomes como Lenin, Stalin e Trotsky.  Continue lendo